Swaps

A palavra swap significa troca. E é exatamente isto o que é na prática.

swap é realizado com os bancos e por exemplo, permite-se trocar uma dívida em Dólar (ou receita), para uma dívida em Reais (ou aplicação), com juros do CDI.

A principal diferença dos swaps para as opçõesNDF's, é a forma de tributação. E claro, com o swap é possível trocar diversos índices.

Vamos exemplificar através de uma operação muito comum no mercado, uma captação em dólar do exterior, "swapada" para Reais, isentando o risco da variação cambial. 

Exemplo:

Supondo-se que um empresa decida tomar um financiamento em dólar, no valor de USD 300.000,00. As condições do financiamento são:

Valor: USD 300.000,00.
Prazo: 360 dias.
Juros: 5,50% ao ano.
(empresa passiva).

No momento em que a empresa recebe os dólares, efetua-se o fechamento do câmbio no mercado à vista com taxa de conversão de R$ 2,00. E então, recebe-se  R$ 600.000,00 (USD 300.000,00 x R$ 2,00), na conta corrente.
O perigo neste caso é então, é a subida da taxa de câmbio, aumentando assim a dívida da empresa. Por exemplo, imaginando o dólar a R$ 2,50, a dívida total iria para R$ 750.000,00 (USD 300.000,00 x R$ 2,50).

Com o intuito de proteger-se da variação cambial, poderíamos neste caso utilizar uma NDF de compra, ou ainda uma opção de compra. Mas neste caso vamos explicar o swap.

Através de um swap é possível transformar a dívida em dólar, para uma dívida em Reais, isentando o risco da variação cambial. Primeiramente devemos entender que uma dívida é considerada um passivo para empresa. E o que precisamos fazer é tornar a empresa ativa, nas mesmas condições do financiamento. Pois para que qualquer variação do mercado seja anulada. Nos cenários 1 e 2 abaixo ficará mais claro.

Situação atual no balanço da empresa:


Devido à dívida estar no passivo, entende-se que quanto maior o câmbio, maior o custo da dívida. Ou ainda, cada vez que o câmbio cair, a dívida também reduz.

Podemos travar este risco da variação cambial negativa, porém, efetuando a trava, ficamos sem eventual ganho caso a variação cambial seja positiva. Mas isto é hedge, o propósito é este, e é o que vamos fazer.

Conversando com o banco, explicamos nossa situação e informamos a dívida atual em dólar:

Valor: USD 300.000,00.
Prazo: 360 dias.
Juros: 5,50% ao ano.
(empresa passiva).

O banco então envia uma cotação para Swap da dívida em Dólar para Reais:

Empresa Ativa:
Valor: USD 300.000,00.
Prazo: 360 dias.
Juros: 5,50% ao ano.

Empresa Passiva:
Valor: R$ 600.000,00 (Cotação spot R$ 2,00).
Prazo: 360 dias.
Juros: 11% ao ano (ou 120% do CDI, como preferir).

Este swap transforma a dívida de Dólar para Reais. Como a empresa possuí  a dívida com o banco em Dólar à 5,50% ao ano, o banco paga estes mesmos juros em Dólar para empresa no vencimento, com qualquer variação cambial que houver. E o banco cobra 11% ao ano em Reais no vencimento da operação. Num exemplo simples no Balanço Patrimonial, veja como ficaria:


O valor em Reais de R$ 600.000,00 foi utilizado porque no momento do fechamento deste swap, a cotação estava R$ 2,00. Efetuando então o hedge da dívida em R$ 600.000,00, acrescidos dos juros de 11%a.a.

Vejamos agora os cálculos nos cenários 1 e 2.

Cenário 1:

Na contratação do financiamento:


Logo, caso o câmbio permaneça em R$ 2,00, o valor a pagar do financiamento seria de:
Ou seja, custo de R$ 33.000,00 do swap.

Considerando neste cenário 1 a alta do câmbio para R$ 2,50. Então no pagamento do financiamento temos:

Veja o impacto na alta do câmbio neste cenário, considerando juros em USD de 5,50% multiplicado pelo câmbio do momento:

Câmbio USDBRL 2,00 R$         633.000,00
Câmbio USDBRL 2,50 R$         791.250,00
Diferença R$        -158.250,00

O financiamento sairá bem mais caro caso o câmbio suba para R$ 2,50. Porém, com o swap veja que o efeito é anulado:


Em todo ajuste positivo, haverá Imposto de Renda. No caso dos swaps, a alíquota do IR é diferenciada conforme o período, semelhante à uma aplicação.


Alíquotas conforme Lei 11.033 de 2004, e Decreto-Lei 6306 de 2007:

22,5% Aplicações de até 180 dias.
20,0% Aplicações de 181 até 360 dias.
17,5% Aplicações de 361 até 720 dias.
15,0% Aplicações acima de 720 dias.

Ou seja, apesar da empresa pagar um montante de R$ 791.250,00 pelo financiamento. Por a empresa ter efetuado o swap, a empresa receberá um crédito de R$ 100.200,00 como ajuste positivo. Reduzindo assim, o custo da dívida devido à variação cambial. O custo total da dívida será de R$ 691.050,00.
Cabe registrar que o imposto de renda pago poderá ser deduzido na apuração dos resultados da empresa posteriormente. Para maiores informações contate seu contador.

Cenário 2:

Considerando neste cenário 2 a queda do câmbio para R$ 1,50. Então no pagamento do financiamento temos:



Veja o impacto na alta do câmbio neste cenário:

Câmbio USDBRL 2,00 R$         633.000,00
Câmbio USDBRL 1,50 R$         474.750,00
Diferença R$       +158.250,00

O financiamento será bem mais barato caso o câmbio caia para R$ 1,50. Porém, como a empresa optou por fazer o swap, haverá um ajuste a ser liquidado. Acompanhe:


Como o ajuste foi negativo, acontecerá um débito na conta da empresa, e neste caso não incide imposto de renda.

Apesar da empresa pagar um montante mais barato de R$ 474.750,00 pelo financiamento. Devido à empresa ter efetuado o swap, haverá um débito de -R$ 191.250,00 como ajuste negativo. O custo total da dívida será de R$ 666.000,00.

Os swaps pode ser realizados tanto para proteção de passivos como de ativos.
Pode-se concluir que em ambos os casos o swap funciona como uma ferramenta de hedge, protegendo os passivos e ativos das variações do mercado.

Para qualquer dúvida entre em contato! Envie-nos uma mensagem sem compromisso.

Interaja-se:

Você é:






Conseguimos lhe ajudar com o que procurava sobre Swap?