Opções

A melhor maneira de entender como uma opção funciona, é comparar à um seguro.

Numa opção, compra-se o direito de vender ou comprar determinado ativo (em nosso caso moedas), por determinado preço (chamado de strike), no vencimento do contrato. E para adquirir tal direito, paga-se um prêmio.

É possível comprar uma opção de compra (chamada call);

E comprar uma opção de venda (chamada put).

Veja o exemplo abaixo e os resultados em dois cenários para entender melhor o processo:

Exemplo:

Supondo-se que um importador decidiu comprar uma máquina de costura dos Estados Unidos. O custo da máquina é de 

USD 50.000,00 e o pedido foi realizado hoje, quando o câmbio está R$ 1,80 por dólar. Ou seja, o custo da atual da máquina é de R$ 90.000,00. 

Porém, até a fabricação e despacho do equipamento, o pagamento levará o prazo de 60 dias. E desta maneira, o importador ficará dois meses exposto a variação cambial do mercado. O que afeta diretamente o bolso do comprador.

Vislumbrando que uma crise na Europa poderá causar estresse no mercado e o câmbio poderá chegar a R$ 2,00, o importador decide realizar um hedge através de opções para evitar possíveis perdas com a variação cambial, pois se o câmbio for a R$ 2,00, o custo da máquina sobe para R$ 100.000,00.

Em contato com o banco, o cliente recebe a informação de que além de um NDF, existe a possibilidade de adquirir uma opção de compra de dólar para o prazo solicitado, que poderia travar o câmbio protegendo o importador em caso de alta do dólar.

Um opção de compra de dólar significa o direito de comprar dólar pela taxa negociada no vencimento do contrato.

Nas opções o cliente pode e precisa definir o câmbio que deseja para o prazo. Ou seja, como num NDF a taxa futura para 60 dias estaria R$ 1,82, o cliente pode definir R$ 1,82 para seu contrato, assim como pode definir R$ 1,75 ou R$ 1,90. A taxa futura da opção chama-se strike. Se o strike estiver acima da taxa de um NDF, entende-se no jargão do mercado, que está "fora do dinheiro". Assim como, se o strike estiver mais abaixo da taxa de um NDF, ele está "dentro do dinheiro". E ainda, o strike na mesma taxa futura de um NDF, significa que a taxa está "no dinheiro". Tudo isto porquê um NDF nada mais é do que o dólar spot (atual) + Juros do mercado local - Juros em dólar no mercado local, calculado para o prazo desejado.

Para adquirir uma opção, paga-se um valor, custo este chamado de prêmio. Semelhante ao seguro.

Supondo que o importador deseja comprar uma opção de compra de dólar ao strike de R$1,82 como no caso de um NDF (strike no dinheiro), então o banqueiro informa que o custo será de 4% sobre o notional (USD 2.000,00 ou R$ 3.600,00).


As opções serão de compra de dólar porque em 60 dias o importador precisará comprar USD 50.000,00 para enviar ao seu fornecedor nos EUA como pagamento.

Adquirindo este contrato de opção de compra, o importador garante o câmbio de R$ 1,82 no vencimento. Lógico que somado ao custo do prêmio pago no ato da compra das opções.

Se o dólar estiver acima de R$ 1,82, mais caro do que o direito adquirido, o importador exerce as opção e recebe o ajuste negativo. Porém, diferente de uma NDF, se o câmbio estiver abaixo de R$ 1,82, não exerce a opção e arca-se apenas com o custo do prêmio de 4% pagos no momento da contratação do serviço.

Contrato de Hedge: Opção de Compra.

Valor Notional: USD 50.000,00.

Prazo: 60 dias.

Taxa Futura: R$ 1,82.

Risco do Importador: Alta do dólar.

Cenário 1

Imaginando que após 60 dias o câmbio está R$ 2,00, e o importador possui a opção de compra como hedge:

USD 50.000,00 x R$ 1,82 = R$ 91.000,00 (Opção de Compra).

USD 50.000,00 x R$ 2,00 = R$ 100.000,00 (Câmbio atual).

Diferença = R$ 9.000,00. Este valor será pago pelo banco para o importador, pois o importador travou a compra do dólar à R$ 1,82 há 60 dias atrás.

Porém, o pagamento da máquina ainda não foi realizado, e neste mesmo dia o importador precisará comprar os dólares e pagar o fornecedor pelos trâmites normais de uma importação. Neste procedimento o fechamento de câmbio será de R$ 2,00 por dólar, pois é a cotação à vista,e o banco debitará R$ 100.000,00 da conta corrente do importador. Mas considerando o crédito na conta corrente do lucro de R$ 9.000,00 com o contrato de opção de compra, o custo total da máquina será de R$ 91.000,00. Não esquecendo o prêmio já pago pela opção na sua aquisição, de R$ 3.600,00.


Cenário 2

Imaginando que após 60 dias o câmbio está R$ 1,70, e o importador possui uma opção de compra, como seria o resultado:

USD 50.000,00 x R$ 1,82 = R$ 91.000,00 (Opção de Comprar o Dólar a R$ 1,82).

USD 50.000,00 x R$ 1,70 = R$ 85.000,00 (Câmbio atual).

Diferença = -R$ 6.000,00. Este valor não será pago pelo importador para o banco, pois o detentor de uma Opção decide se executa-a ou não.

Desta maneira, basta a empresa comprar os dólares e pagar o fornecedor pelos trâmites normais de uma importação. Neste procedimento o fechamento de câmbio será de R$ 1,70 por dólar, pois é a cotação à vista, e o banco debitará R$ 85.000,00 da conta corrente do importador. 

Para concluir a análise do hedge, precisamos ainda considerando o custo da Opção pago à vista anteriormente. Supondo que o custo (prêmio), foi de R$ 3.600,00. Temos como resultado final então:


R$ 85.000,00 + R$ 3.600,00 = R$ 88.600,00 / R$ 50.000,00 = R$ 1,7720.

Custo da importação em R$  + Prêmio da Opção / Custo da importação em USD = Taxa de câmbio final.


Veja que o hedge por meio do contrato da opção protegeu a variação cambial do dólar, adicionando o custo do prêmio pago à vista. Contudo, não sendo necessária a execução da opção em caso de queda do dólar, favorecendo desta maneira a empresa.


Para qualquer dúvida entre em contato! Envie-nos uma mensagem sem compromisso.


Interaja-se

Você é:






Conseguimos lhe ajudar com o que procurava sobre Opções?